Páginas

quinta-feira, 22 de março de 2012

Help para pais, mães, tios, dindos...

Algumas vezes nossos filhos(as) entram numa fase "rebelde", ou mesmo, o grupo familiar passa por fases difíceis, não é mesmo? Nestas horas, conversar, trocar experiências com outros pais, ouvir o que a equipe psicopedagógica da escola tem a dizer, ou até mesmo buscar ajuda de um profissional de psicologia é necessário...

Mas às vezes, nós mesmos temos condições de identificar o problema da criança e tentar ajudá-la... usando o bom senso e seguindo os nossos corações...

Eu sempre busquei muita literatura sobre todas as fases de desenvolvimento infantil; seja desenvolvimento psicológico, seja  desenvolvimento motor. Confesso que tenho tido alguma dificuldade em encontrar bons livros que falem de crianças com mais de 3 anos. Do nascimento até esta idade tem uma infinidade de livros muitos bons! Já, a partir dos 3 anos, nem todos são satisfatórios. Mas não desisti!

No ano passado tive a sorte de encontrar dois títulos interessantes e um realmente útil! O primeiro: Mil dicas para entender seus filhos de 0 a 7 anos de Harry Ifergan e Rica Etienne, fala sobre diversos assuntos (recusa a ir a escola, irmãos, separação, sexualidade etc...) de maneira prática, rápida e direta, do ponto de vista dos pais, da criança e do psicólogo, com dicas bem interessantes.

Mas o livro que tem me "salvado"  na solução de pequenos conflitos, ultimamente, é: Histórias para virar gente grande de Sophie Carquain. Este liivro tem diversos contos (que relatam de maneira lúdica problemas que vão desde as dificuldades do sono, passando por publicidade, divórcio, até abuso sexual), e logo após cada conto, a autora oferece diretrizes e elementos de reflexão para que os pais possam pensar sobre o conflito em questão e dicas de como melhor se comunicar nestes casos...

A Laura tem voltado da escola muito preocupada com "os bons e maus" comportamentos das crianças. Ontem à noite, lemos juntas a história das palavras rosas e palavras cinzas, do capítulo sobre sociedade e convívio. Ajudou a acalmar a cabecinha dela e a sugerir um comportamento pró-ativo e positivo com relação aos amigos.. Fica a dica ;o)